Acidente mata uma mulher no trevo do poliduto em Jequié

3 de jul de 2015 Nenhum comentário:
Uma vitima morreu e outra ficou gravemente ferida após batida entre uma moto e um caminhão, na manhã desta sexta-feira (03), trecho do Poliduto de Jequié, na Rodovia Santos Dumont. Segundo informações do pessoal no local, o motociclista estava parado no acostamento do lado direito e tentou cruzar a rodovia para entrar na cidade de Jequié quando foi atingido violentamente. E o carona estava Anna Claudia Silva Nogueira que veio a óbito no local. É o motorista da moto, José Ladislau dos Santos, foi socorrido em estado grave por uma equipe da Via Bahia para o Hospital Prado Valadares. O caminhão com placa CSD 1263, tem licença de Holambra-SP.

INDEPENDÊNCIA DA BAHIA

2 de jul de 2015 Nenhum comentário:


A declaração de independência feita por Dom Pedro I, em sete de setembro de 1822, deu início a uma série de conflitos entre governos e tropas locais ainda fiéis ao governo português e as forças que apoiavam nosso novo imperador. Na Bahia, o fim do domínio lusitano já se fez presente no ano de 1798, ano em que aconteceram as lutas da Conjuração Baiana.
No ano de 1821, as notícias da Revolução do Porto reavivaram as esperanças autonomistas em Salvador. Os grupos favoráveis ao fim da colonização enxergavam na transformação liberal lusitana um importante passo para que o Brasil atingisse sua independência. No entanto, os liberais de Portugal restringiam a onda mudancista ao Estado português, defendendo a reafirmação dos laços coloniais.
As relações entre portugueses e brasileiros começaram a se acirrar, promovendo uma verdadeira cisão entre esses dois grupos presentes em Salvador. Meses antes da independência, grupos políticos se articulavam pró e contra essa mesma questão. No dia 11 de fevereiro de 1822, uma nova junta de governo administrada pelo Brigadeiro Inácio Luís Madeira de Melo deu vazão às disputas, já que o novo governador da cidade se declarava fiel a Portugal.
Utilizando autoritariamente as tropas a seu dispor, Madeira de Melo resolveu inspecionar as infantarias, de maioria brasileira, no intituito de reafirmar sua autoridade. A atitude tomada deu início aos primeiros conflitos, que se iniciaram no dia 19 de fevereiro de 1822, nas proximidades do Forte de São Pedro. Em pouco tempo, as lutas se alastraram para as imediações da cidade de Salvador. Mercês, Praça da Piedade e Campo da Pólvora se tornaram os principais palcos da guerra.
Nessa primeira onda de confrontos, as tropas lusitanas não só enfrentaram militares nativos, bem como invadiram casas e atacaram civis. O mais marcante episódio de desmando ocorreu quando um grupo português invadiu o Convento da Lapa e assassinou a abadessa Sóror Joana Angélica, considerada a primeira mártir do levante baiano. Mesmo com a derrota nativista, a oposição ao governo de Madeira de Melo aumentava.
Durante as festividades ocorridas na procissão de São José, de 21 de março de 1822, grupos nativistas atiraram pedras contra os representantes do poderio português. Além disso, um jornal chamado “Constitucional” pregava oposição sistemática ao pacto colonial e defendia a total soberania política local. Em contrapartida, novas forças subordinadas a Madeira de Melo chegavam a Salvador, instigando a debandada de parte da população local.
Tomando outros centros urbanos do interior, o movimento separatista ganhou força nas vilas de São Francisco e Cachoeira. Ciente destes outros focos de resistência, Madeiro de Melo enviou tropas para Cachoeira. A chegada das tropas incentivou os líderes políticos locais a mobilizarem a população a favor do reconhecimento do príncipe regente Dom Pedro I. Tal medida verificaria qual a postura dos populares em relação às autoridades lusitanas recém-chegadas.
O apoio popular a Dom Pedro I significou uma afronta à autoridade de Madeira de Melo, que mais uma vez respondeu com armas ao desejo da população local. Os brasileiros, inconformados com a violência do governador, proclamaram a formação de uma Junta Conciliatória e de Defesa instituída com o objetivo de lutar contra o poderio lusitano. Os conflitos se iniciaram em Cachoeira, tomaram outras cidades do Recôncavo Baiano e também atingiram a capital Salvador.
As ações dos revoltosos ganharam maior articulação com a criação de um novo governo comandado por Miguel Calmon do Pin e Almeida. Enquanto as forças pró-independência se organizavam pelo interior e na cidade de Salvador, a Corte Portuguesa enviou cerca de 750 soldados sob a lideranaça do general francês Pedro Labatut. As principais lutas se engendraram na região de Pirajá, onde independentes e metropolitanos abriram fogo uns contra os outros.

Devido à eficaz resitência organizada pelos defensores da independência e o apoio das tropas lideradas pelo militar britânico Thomas Cochrane, as tropas fiéis a Portugal acabaram sendo derrotadas em 2 de julho de 1823. O episódio, além de marcar as lutas de independência do Brasil, motivou a criação de um feriado onde se comemora a chamada Independência da Bahia.

Por Rainer Sousa
Graduado em História

Equipe de Infra Entra em Ação no Entroncamento

Nenhum comentário:

Após as chuvas que castigaram toda a região nas ultimas semanas trazendo alegria para o homem do campo, mais trazendo transtorno e problemas para o homem da cidade deu uma tregou para todos.


No Entroncamento as chuvas causaram vários problemas nas ruas do distrito com lamas e buracos, com isso os moradores foram para as redes sociais reclama a situação das ruas que estavam intransitáveis.

Com isso a equipe de infraestrutura do entroncamento entrou em ação na ultima quarta-feira(01) com a limpeza das ruas após a chuva para melhorar a vida dos munícipes. O adm Junior vem dando o melhor para melhorar a situação do Entroncamento que sofreu muito esses dias com as chuvas que cairão no distrito.


As maquinas irão continuar no entroncamento por esses dias para concluir os trabalhos de limpeza do distritos.

Carro capota em acidente na BA-046, entrada de Amargosa

30 de jun de 2015 Nenhum comentário:

Um carro capotou no fim da manhã deste terça-feira(30), na BA-046, próximo a escola agrotécnica, entrada do município de Amargosa. O motorista perdeu o controle do veículo em uma curva e ninguém se feriu.

De acordo com informações colhidas no local, por volta das 11h40min, o motorista do veículo, que preferiu não se identificar, dirigia um carro modelo FIAT Strada de placa policial JPS-8731 na BA-046, sentido a Milagres, quando perdeu o controle da direção, atravessou na pista e desceu uma ribanceira capotando. O motorista do veículo, que saiu ileso do acidente, ainda conversou com nosso repórter "me perdi na curva devido a chuva, mas estou bem". O veículo ficou parcialmente destruído.

Fonte/Fotos: AmargosaNews.

Avião militar cai na Indonésia e mata dezenas de pessoas

Nenhum comentário:
Pelo menos 49 pessoas morreram nesta terça-feira (30) depois que um avião de transporte, do tipo Hércules, do Exército da Indonésia, caiu em uma área residencial da cidade de Medan, na ilha de Sumatra, cerca de dois minutos após a decolagem, segundo a Reuters. O número de mortos ainda não é definitivo.  As equipes de emergência retiraram os corpos dos destroços do avião e da área de queda, onde o acidente provocou um incêndio, informou o chefe de polícia de Medan, Mardiaz Dwihananto.
Ainda não se conhece o número de pessoas atingidas em solo. Segundo o Exército local, o avião transportava 113 pessoas, incluindo 12 tripulantes.O avião havia decolado às 12h08 (2h08 de Brasília) de uma base militar e caiu na cidade dois minutos depois, a apenas cinco quilômetros de distância da base, segundo o porta-voz do Exército, Fuad Basya.
Fonte: http://g1.globo.com/

Facebook pode rastrear quem usou o filtro arco-íris na foto do perfil

Nenhum comentário:
Na última sexta-feira, a internet se uniu para celebrar a legalização da união homoafetiva em todo o território norte-americano.  O Facebook não perdeu tempo e lançou um filtro com as cores do arco-íris para identificar usuários que apoiam a causa. A novidade teve ampla adoção por usuários do mundo inteiro – segundo a empresa, 26 milhões de pessoas mudaram a cor de suas fotos de perfil. Juntas, elas tiveram meio bilhão de curtidas e comentários.

O filtro foi desenvolvido por estagiários da rede social em um hackathon interno e foi lançada para o público geral depois de ser amplamente adotada por funcionários da própria rede social. Mas os objetivos e os resultados da ação do Facebook vão além do engajamento dos usuários: agora, a rede social sabe claramente quem apoia ou não o casamento gay.

E o que isso significa? Que o Facebook agora pode rastrear quem são os usuários que apoiam a causa e adicionar essa informação ao banco de dados que a rede social usa, por exemplo, para oferecer aos seus anunciantes a possibilidade de vender anúncios focados em determinados públicos.

A discussão foi trazida à tona pela revista americana The Atlantic, que entrou em contato com a rede social nos EUA e perguntou se a ferramenta seria usada para gerar dados para algum experimento. Um porta-voz da rede social negou que a ferramenta tenha o objetivo de testar alguma hipótese, como fez em 2012, ao manipular o feed de notícias para identificar se usuários ficavam mais felizes ou tristes ao serem expostos a determinados conteúdos.

Na época, a revelação de que o Facebook realizava experimentos com os usuários gerou polêmica, já que os usuários não sabiam que seus dados poderiam ser usados com esse objetivo. A empresa foi obrigada a emitir um pedido de desculpas e atualizar seus termos de uso acrescentando a informação de que os dados dos usuários podem vir a ser usados em pesquisas.

A revista destaca, no entanto, que mesmo não sendo um experimento, o Facebook poderá usar a ferramenta para rastrear quem apoia o casamento gay e adicionar essa informação ao seu banco de dados – o que em si não é uma novidade, já que toda a atividade no Facebook é monitorada e gera dados para a rede social. Porém, como não há nenhum alerta sobre isso fora dos termos de serviço, a tendência é que os usuários se esqueçam desse detalhe e utilizem a ferramenta sem pensar nas implicações.

Lama e buracos em ruas incomodam moradores do Entroncamento

Nenhum comentário:

Os moradores do Entroncamento reclamam da situação precária em que se encontram as ruas do distrito. Eles sofrem com os buracos e com a lama que se forma principalmente quando chove. Além disso, serviços essenciais, como a coleta de lixo, também são prejudicados.


Os moradores do Entroncamento reclamam da situação precária em que se encontram as ruas do distrito. Eles sofrem com os buracos e com a lama que se forma principalmente quando chove. Além disso, serviços essenciais, como a coleta de lixo, também são prejudicados.


Geraldo disse que a comunidade faz o pedido de melhorias no local, mais ainda não obteve retorno. "O bairro está quase totalmente intransitável. Eu gostaria de pedir ao Poder Público municipal a inversão de prioridade. Eles estão priorizando pracinhas, campos de futebol", disse.

Ainda segundo ele, sem poder depender da prefeitura, eles precisam arrumar outras maneiras de solucionar o problema.

Fotos: Redes Sociais
 
Início | Musa do Diário | Horário dos Ônibus | Contato
Copyright © Diário do Entroncamento
Design by Diario Publicidades | Tecnologia do Blogger *IMAGEM DO SMARTPHONE ILUSTRATIVA, MODELO E MARCA A DEFINIR.
    Facebook Google + YouTube